31 julho, 2007

Diretas Já em Jacarepaguá

O movimento pela democratização do Brasil Essa história toda dos jogos Pan-Americanos, as vaias e aplausos aos políticos nas tribunas de honra e a sua repercussão na imprensa durante todo o evento, me lembrou de outra manifestação popular importante contra o stabilishment político nos anos 80, o movimento Diretas Já.

Estávamos no final da gestão do então Presidente Figueiredo, após 20 anos de ditadura militar. O crescimento da insatisfação popular com o regime militar, o fortalecimento dos sindicatos, a anistia política e o crescimento dos políticos de centro e esquerda culminou com este movimento, grandemente divulgado pela grande imprensa, que pedia pelas eleições diretas para Presidente da República - até então eleito pelo Colégio Eleitoral, ou seja, pelo voto dos deputados federais. Infelizmente não foi daquela vez que o povo pôde exercer o direito ao voto, adiado por mais cinco anos, mas foi determinante para a escolha de um presidente alinhado com a oposição ao regime - Tancredo Neves - em detrimento ao candidato apoiado pelos militares - Paulo Maluf.

O que isso tem a ver com a Fórmula 1? Quando a temporada de 1984 começou no Grande Prêmio do Brasil, em Jacarepaguá, o comitê do movimento Diretas Já em parceria com a Rede Globo instalou, em alguns pontos do circuito, balões, daqueles grandes presos ao chão por cordas, com os dizeres Diretas Já. Durante todo o ano, na abertura das transmissões da Fórmula 1 pela Globo, esses balões sempre apareciam no final da vinheta. Ou seja, o GP do Brasil foi um dos grandes meios de divulgação do movimento.

Não foi a primeira nem a última vez que um esporte (íncluindo a própria Fórmula 1) foi usado como veículo de propaganda política. A própria eleição da Hungria comunista para sediar um Grande Prêmio - um evento essencialmente capitalista! - em 1986 foi um, digamos, cutucão na dominação político-econômica já fragilizada da antiga União Soviética no Leste Europeu.

Eu lembrava disso tudo e achava cômico como a estas vaias, mais motivadas pela irreverência carioca do que por uma ideologia política de massa, tenha sido dada tanta importância. Os tempos mudaram.

2 comentários:

MATHEUS disse...

Caro,

Muito bom o seu blog. Gosto muito de Fórmula 1 assim como você. Tenho um blog sobre notícias e fatos da Fórmula: é o Alta Velocidade. O endereço é avelocidade.blogspot.com
Apareça por lá quando quiser.
Abraços.

Rio Kart disse...

Olha, talvez nem mesmo a irreverência carioca tenha sido o motivo das vaias panamericanas. Dizem, e parece ser verdade, que teve dedo de um casal desafeto ao governo federal nisso...
Seja lá o que tenha acontecido, e a tese da irreverência é boa para explicar, concordo com você que as vaias pareceram mesmo serem apenas vaias vazias.